Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2016

Urgências

A vida é muito curta e o tempo passa muito rápido. Por isso essa urgência em fazer o que gosto e essa pressa em ser feliz. Só gasto tempo e energia com o que me torna melhor e me faz bem. A todo o resto eu destino o meu pedido de que encontre logo a paz que permite aceitar e entender que os outros são do jeito que são. Não que eu também não tenha meus dias de tempestade e revolta, mas eles têm sido cada vez mais curtos e espaçados, porque ser feliz tem muito mais a ver com escolha do que com conquistas. Sou grata a tudo que já me aconteceu e a todos os que tive o prazer de cruzar, afinal sem isso não estaria onde estou e nem seria quem eu sou. A vida é escola, às vezes você é aluno, às vezes professor, mas sempre tem lição a ser aprendida.

Porta aberta

A cada semana uma história nova, nem ao menos tentava esconder a falta de profundidade dos seus sentimentos, deixava claro logo no início que não esperava futuro de nada. Essa história seria arquivada como muitas outras já foram. Coração de pedra. As palavras dele ainda ecoavam na sua mente. Ela não era assim, mas não estava a fim de provar nada a ninguém. O número de possibilidades diminuíam a cada troca de lua. E a cada lua cheia a profecia se perpetuava. A frieza da lua seria a frieza dela. Agora tinha grades, onde antes nem existia janela. E não adiantava forçar a porta, que só se abria quando ela resolvia deixar alguém entrar. Isso acontecia de tempos e em tempos, e logo após fechar a porta ela já se arrependia da ideia. Seria possível sentir novamente algum dia? O fato de não acreditar muito não encerrava a busca. A curiosidade era sempre maior do que a descrença. E nessa busca desorientada acabou saindo e deixando a porta aberta. Sempre voltava para conferir, mas naquela noite…

Mudei meu discurso, mudei o rumo.

Pensando bem vou mudar o meu discurso, a partir de hoje não sou meia, sou inteira, sou completa, sou complexa e gosto assim. Pra me ler é preciso inteligência, tanto mental, quanto emocional. Não sou pra um qualquer e não gosto de qualquer um. Me ganha quem merece, descobre quem insiste. De loucura já basta a minha. Procuro quem me cure, mas não com tanta urgência. Minha loucura é companhia, melhor que muitas que já cruzaram meu caminho. Quando sinto o perigo, me afasto. Quando percebes já não estou mais ali. Me abro e logo me arrependo e então me fecho, voltamos a estaca zero. Melhor assim. É preciso preservar os sentimentos. Tem muita carência disfarçada de gentileza no mundo. No fundo, tudo que é em excesso me causa arrepios, me assusta e me faz correr em direção oposta. Porque sou uma louca que aprendeu a se deixar em paz, em um mundo que anda cheio de gente que finge ter paz, mas que transborda a alma doente. Acho que já mudei o meu discurso. Eu quero liberdade, paz e um pouco d…