Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2015

Fuck you!

More Lily Allen Music Vontade de gritar para o mundo inteiro ouvir: VÁ SE DANAR!  Pegar minha tristeza disfarçada de indiferença, minha ira disfarçada de calma, e jogar para acertar, um por um, talvez para matar, não sei... Pode ser que seja apenas inferno astral, mas pode ser que não. Talvez seja raiva contida, que engoli e que me fez perder tempo e vida. Mas hoje eu quero botar para fora, quero extravasar, quero gritar para o mundo inteiro ouvir.  Não quero falar de como o dia foi lindo, ou de como a lua (se não estivesse nublado) brilha linda e soberana no céu. Quero falar das minhas chuvas, dos furacões, dos vendavais que acontecem de tempos em tempos. Não quero falar da saúde, da riqueza espiritual, do amor incondicional. Quero falar do egoísmo, da estupidez humana, de gente sem bom senso, que fala o que quer, mas que não gosta de escutar o que o outro tem a dizer.  Hoje não vou ser a boa moça, nem a boa filha, nem boa amiga, porque não sou boa em ser boa, sou boa sendo fria, in…

Femme Fatale

More Britney Spears Music
Já tentei fazer parte daquela turma que não trabalha com sentimentos, que saí pra balada, curtindo a vida supostamente muito feliz. O que me irrita nisso tudo, é que esse tipo de pessoa precisa de um litro de vodka para dizer suas verdades, para estar sorrindo. É uma incomoda felicidade engarrafada, sentimentos abafados e sorrisos extremamente forçados, por 40% de álcool.
Nem sempre estou feliz, mas sempre que estou sorrindo, meu sorriso é sincero, verdadeiro, e acho que é isso que importa no final. Sou o tipo de pessoa que não precisa provar nada para ninguém, já que no fim das contas somos sozinhos e somente eu posso realmente me fazer feliz. Sentir menos como precaução, claro que é válido, mas querer tentar convencer o mundo e a si mesmo que não sente nada, aí é uma tolice sem tamanho.
Respeito meus momentos, se o meu momento é de ficar no quarto, chorando e me recuperando, não vou para a balada tirar fotos com cara de felicidade sem fim. Não posso atrope…

Não existe, desiste!

Eu consigo convencer qualquer um, menos você, e isso me torna mais obstinada do que nunca. Por que não eu? Com tantas distrações no mundo, eu escolhi que você fosse a minha. Só que você parece estar tão ocupado em manter a sua reputação de bom moço, que me ignora e me aguça só para ter mais alguém para aumentar o seu ibope.  Cuidado viu, diferente de você, eu não brinco em serviço. Hora dessas você ficará enroscado nas minhas pernas e será difícil continuar mantendo a pinta de bom moço. Aliás, eu acho até que ela nem cai bem em você, porque por dentro você é mau, e comigo você é pior.  O que te falta é coragem, e o resto que sobra é medo. Você sabe que com as outras você até consegue bancar o distante, mas o tempo vem passando e você segue estando próximo sem estar de verdade. Talvez seja mais uma estratégia de manter o seu lugar disponível enquanto você olha ao redor tentando encontrar algo mais apropriado. Não existe, desiste! Apropriado a você, somente eu, você sabe e eu sei, mas …

Querer nem sempre é poder.

Eu queria pegar todos os sentimentos e encher um potinho. Fechar com tampa de rosca e passar fita tape só para ter certeza que nem que quisesse conseguiria abrir. Queria pegar esse medo de ser sozinha e dançar. Queria deixar as pessoas me encostarem sem achar que elas vão me ferir. Queria conseguir relaxar as vezes. Soltar o ar e respirar bem fundo sem sentir essa angústia aqui dentro do peito.

Mas querer... querer nem sempre é poder...

Coisas da vida...

Eu não tenho nada pra dizer
Por isso eu digo
Eu não tenho muito o que perder
Por isso jogo
Eu não tenho hora pra morrer
Por isso sonho

As pessoas complicam o que poderia ser simples. Tentando - em vão - ter um pouco mais de importância quando já nada são. O que eu sei hoje é que ninguém muda e que mau humor de manhã me deixa puta.  Que algumas pessoas estão no passado pelo simples fato de destoarem da leveza do momento presente. Nunca mais é agradecimento. Nunca mais é alívio imediato. Porque já não sou mais tua, nem você é mais meu.  Posso desligar e continuar fingindo que você nunca existiu.  Porque o que existiu foi algo que criei. Porque não suporto teatros e discursos da boca pra fora. Suma e se assuma.  Não repita os insucessos. Muda, que só assim o fim não será fim, mas começo, recomeço, presente e futuro.

Preste atenção querida...

E de repente o tempo parou.  Você falou, eu ouvi.  Alguma coisa soou diferente.  Não sei bem o que aconteceu depois, só sei que parei de ouvir todos os barulhos que faziam em volta. Surdez temporária. Por um instante tive vontade de sumir, mas então descobri que já não estava mais ali, e fiquei me perguntando se algum dia estive?  Por onde andei por esse tempo todo, que não vi e nem percebi o óbvio?  Para onde estava olhando, o que tinha o meu foco antes daquele momento?  Nada importou, não entendi as grandes questões da vida, e nem obtive todas as respostas que sempre procurei, mas por alguns segundos acreditei em uma linha que une as pessoas mesmo que demore. Almas afins sempre se encontram.  Depois do choque, um pouco de realidade.  Enfim terra firme novamente.  Eu bem que gosto do sobe e desce, mas às vezes me sinto um pouco mareada.  Relaxei, finalmente era eu mesma, ali, inteira, a postos e a ouvidos. Eu, sempre igual, mesmo sendo diferente.  A conversa foi contraditória, como…

Livre-se!

Gente chata
Gente ranzinza
Gente sem conteúdo
Gente sem criatividade
Gente sem personalidade
Gente que reclama
Gente que sente inveja
Gente que só vê defeitos
Gente que só vê o lado ruim
Gente que fala mal dos outros
Gente que espera recompensas
Gente que dá opinião que não foi solicitada
Gente que ao invés de coração tem pedra no lugar
Gente que sempre traz aquele comentário desnecessário
Gente que não é feliz
Gente que não escuta
Gente que não é amada
Gente que não sabe amar
Gente que não dá bom dia
Gente que não faz de coração
Gente que não estende a mão
Gente que não ajuda os outros
Gente que não cria expectativas
Gente que não se põe no lugar dos outros
Gente que não vibra com as suas conquistas
Gente que não tem noção...

Gente que não vive, que apenas sobrevive, incomoda, faz mal e não serve para nada, só para exercitar a paciência de quem já nasceu com pouca...

Chuta que é macumba...
Livre-se de gente assim!
A vida une e separa pessoas todos os dias, aproveite a era do desapeg…

Depois do estrago... só fica o que é essencial!

Quando o furacão passa, a sensação de surdez é absurda. Enquanto a poeira assenta, eu olho pro céu, achando beleza naquele estrago que ficou. Talvez seja essa a minha loucura. Ver graça onde ninguém mais vê. Ver beleza onde a maioria vê destruição. A sensação anestésica vem logo em seguida. É uma paz absurda, mesmo diante do estrago feito. Acabou e estou inteira, mas assim como a Dorothy, quando abro os olhos o lugar não é mais o mesmo. Talvez seja porque eu não sou mais a mesma. Ou ainda, talvez essa seja só mais uma das minhas tantas teorias sem nexo. Quero tudo e não sei esperar. Quero correr sem ao menos saber se minhas pernas aguentariam. Quero respirar o ar puro, sem poeira, sem antes conferir se há alguma lesão no meu corpo. Pouco importa, se sentir viva é sempre a cereja do bolo. Quantos por aí apenas sobrevivem, sem fazer barulho ou estrago, passam rastejando pela vida como zumbis, mal amados, acomodados, conformados? Eu não, nunca quis essa vida para mim. Quero sentir emoçã…

Shining

More Norah Jones Music Eu tentei lembrar daqueles dias, mas de alguma maneira minha memória bloqueou e, finalmente me fez entender que existem coisas que devemos deixar partir, antes que acabem partindo com a gente. E, se hoje sou mais inteira que antes, mais inteira que nunca, a culpa é do meu coração gelado que não deixa que eu entregue mais de mim a quem não mereça. E foram muitos risos e alguns choros, se bem que nem choro mais, não sei se por falta de tempo ou por falta de lágrimas. O que ficou é um vazio que ainda não foi preenchido, não por falta de opções, mas por falta de vontade mesmo. Se me arrependo? De nada. Tudo que fiz, faria igual, só para ter o gostinho de me sentir inteira de novo. Porque me reconstruí e reconstruí a minha vida, a minha imagem, me tornando mais próxima do que eu queria ser. E hoje, além de independente e dona de mim, sou feliz, do meu jeito torto, as vezes sorrindo e as vezes irônica, mas feliz da hora que acordo à hora que vou dormir. Voltei porque a…

Olha o retorno logo ali...

Eu ia começar dizendo que faltava tempo, mas na verdade acho que faltava era esforço, vontade, querer e mais uma porção de coisas que não convém citar. E quando não quero, pode chorar, pode tremer, pode até bater o pé porque eu vou fazer somente aquilo que quiser. Se não estou aí, é porque não quero, caso contrário já teria dado um jeito, uma desculpa, uma ligada. Talvez eu ainda precise de alguns meses, mais um tempo pelo menos. Ainda tenho uma pilha de livros pra ler, vários amigos pra ver e bastante solado para gastar. Não me leve a mal, não é pessoal, nunca é, nunca foi. Eu que sou desse jeito assim, não troco as minhas asas por nada que possa me prender. O que me limita me causa arrepios e me sinto sufocada só em pensar. Ou, quem sabe criei uma espécie de fobia a sentimentos e não me apegue justamente por medo de me apegar? Vai saber. O fato é que agora o tempo parece correr diferente e existem outras prioridades e outros problemas. Não tenho tempo, nem espaço e saco para inseri…

Teorias, suspeitas e coisas do gênero

Não pertenço a lugar algum, mas pertenço a mim mesma. Talvez não seja a melhor das posses aos seus olhos, mas aos meus é o melhor lugar que eu poderia estar. Quantos pertencem a si mesmos? Quantos tocaram a sua alma de verdade e fizeram alguma diferença na sua breve existência? Certamente os que fizeram tinham algo de diferente, incomum, algo que depois você tentou procurar em outros, mas nunca encontrou. Talvez eles pertencessem a si mesmos também. É só uma hipótese. Não existe nada mais dissonante do que se esforçar para ser quem não se é, e é por isso que algumas pessoas soam como melodias e outras como músicas tenebrosas.
Quem é de verdade sempre sabe quem não é de verdade...

Ignora que passa...

Ignora que passa, era o que a minha mãe dizia quando eu dava muita atenção a alguma coisa que me incomodava, ou quando eu tinha algum pesadelo ou dor aguda.  E não é que dá certo. Ignora que passa.  Sabe aquele ex chato que aproveita toda e qualquer situação para se fazer presente, mesmo estando no quinquagésimo nono relacionamento depois de você? Ignora que passa.  Sabe aquela pessoa que insiste em abrir a boca e falar coisas desnecessárias em tons hostis? Ignora que passa.  Sabe aquele cara no trânsito que te fecha ou que não aprendeu a ligar a seta? Ignora que passa... E assim eu vivo ignorando as coisas que não quero saber, ver, ouvir. Se é certo ou errado, tanto faz, contanto que me faça bem. E, depois de uma certa prática, a gente vai descobrindo que muitas coisas que incomodavam e faziam perder noites de sono, hoje causam até bocejo, se bobear eu deito e durmo. Sambar na cara de alguém? Não, eu prefiro e preciso mesmo é dormir.  Quantas vezes gastei energia com pessoas ou situ…