Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2014

Shut me up

Se esconder pra quê? Com o intuito de tornar misterioso algo que não possui mistério algum? Com a desculpa de não causar inveja? Para preservar-se do julgamento alheio? Se esconder pra quê?
Eis que aqui estou, juntando meus pedaços e colando de outra maneira, mas lá dentro sigo igual, permanente. Não vou me esconder feito criminosa, que não pode ser vista, quero, não só ser vista, como também lembrada, escutada e sentida.
Criar interesse é fácil e rápido, mas sem um bom conjunto de argumentos, até o interesse mais interessado acaba se perdendo. E o que se perde hoje, amanhã ganha-se de outro jeito, de um jeito melhor. Benditas horas de espera, uma hora acaba e acabamos descobertos. E descobre-se também que se esconder foi, além de inútil, perverso.



Despedida

Se a vida é feita de ciclos se a cada três meses as estações trocam se tudo resume-se a nascimento, crescimento e morte Por que é tão difícil se despedir?
Se sabemos que o fim ronda durante todo o percurso se sabemos que tudo que inicia se finda se temos consciência de que nada é eterno Por que é tão difícil se despedir?

"Entre luz e fusco, tudo há de ser breve como esse instante. Nem durou muito a nossa despedida, foi o mais que pôde, em casa dela, na sala de visitas, antes do acender das velas; aí é que nos despedimos de uma vez. Juramos novamente que havíamos de casar um com outro, e não foi só o aperto de mão que selou o contrato, como no quintal, foi a conjunção das nossas bocas amorosas... Talvez risque isto na impressão, se até lá não pensar de outra maneira; se pensar. fica. E desde já fica, porque, em verdade, é a nossa defesa. O que o mandamento divino quer é que não juremos em vão pelo santo nome de Deus. Eu não ia mentir ao seminário, uma vez que levava um contrato fe…

Bem leve

Que tempo bem bom quando podíamos nos esconder dentro de casa. Hoje em dia é preciso fugir de casa para poder se esconder. Lugar que não pega sinal é praticamente um retiro espiritual. Eu gosto, e não é pouco. O offline torna a minha vida mais simples, mais leve e totalmente real. Passar horas lendo, observando o mundo, molhando os pés, pegando sol, meditando, respirando, simplesmente me preenchendo daquilo que me faz bem. E quanta ironia em precisar desconectar para conseguir conectar aquilo que realmente importa. 
Um brinde às boas conexões que a vida faz!



Antes o atrito que o contrato

Fazendo jus ao nome do blog, começo a subir a montanha-russa de novo. Bem devagar, fazendo a maior barulheira de ferro se batendo (poderia chamar de armadura?), criando a maior tensão. Não quero calcular quanto tempo falta até chegar aqueles três milissegundos de completa paz, exatamente antes de despencar e aumentar a velocidade e aí perder o controle de absolutamente tudo.  Não lembro a primeira vez que andei de montanha-russa, mas sempre foi o meu favorito. A sensação de flutuar, ou perder o estômago, ou frio na barriga é a melhor sensação que existe. Nunca andava uma única vez, sempre queria repetir.  E cá estou eu, sentadinha no carrinho, ouvindo a barulheira e de quebra aproveitando a paisagem. Quanto tempo vou subir? Não faço nem ideia, mas sinceramente, estou nem aí. 

"Quero no escuro Como um cego tatear Estrelas distraídas... Amoras silvestres No passeio público Amores secretos Debaixo dos guarda-chuvas Tempestades que não param Pára-raios quem não tem Mesmo que não venha o trem N…

Simples e intenso

A certeza de que tudo que acontece, acontece por alguma razão.
Pelo fim do imediatismo, pelo fim do "precisar" de outra pessoa, pelo fim dos joguinhos, de brincar com a insegurança do outro, pelo fim de deixar as oportunidades passarem.

A vida é agora!
Acho sim possível vivenciar e experimentar o amor, mesmo hoje em dia, em tempos de amores-expressos.

Pare de ter medo, o medo impede todos os ganhos!
Só de mim from Diffuse on Vimeo.

Sentimental

Antes tudo ser possível, do que tudo ser definitivo. Ao menos me restam infinitas possibilidades.
"Se ela te fala assim, com tantos rodeios, é pra te seduzir e te ver buscando o sentido daquilo que você ouviria displicentemente. Se ela te fosse direta, você a rejeitaria."

Vermelho

Às vezes eu só quero descansar Desacreditar no espelho Ver o sol se pôr vermelho
Acho graça Que isso sempre foi assim Mas você me chama pro mundo E me faz sair do fundo de onde eu tô de novo
Nada sei dessa tarde Se você não vem Sigo o sol na cidade Pra te procurar
Eu bem sei onde tudo vai parar Já não tenho medo do mundo Sou filho da eternidade
Trago nesses pés o vento Pra te carregar daqui Mas você sorri desse jeito E eu que já perdi a hora e o lugar Aceito.
Nada sei nessa tarde Se você não vem Sigo o sol na cidade A te procurar
Nada de meu nesse lugar A cidade vai pensar Que nada aconteceu em vão Você vai me ligar então mais uma vez